Blog

Blog Resoluty

Leia nossos artigos, te manteremos informados dos mais diversos assuntos.


5 Dicas para dar fim nas dívidas

5 Dicas para dar fim nas dívidas

Resoluty 02 Set 2020

Estar com dívidas ou o nome sujo está virando uma situação cada vez mais comum. 

Cerca de 30% das pessoas que possuem dívidas, estão com pendências nos bancos como Itaú, Bradesco, Santander, ou no cartão de crédito. 

Muitas delas acreditam que essas dívidas desaparecem, ou “caducam”, depois de cinco anos ou mais. Mas isso não acontece. 

O que realmente acontece é que o nome do devedor apenas sai do Serasa, mas o crédito para essa pessoa não será concedido até que a dívida esteja quitada. 

Por isso, o melhor caminho ainda é acabar com a dívida do banco ou do cartão de crédito de uma vez por todas. Além de ter o nome limpo, quitar uma dívida gera uma sensação de alívio, que reflete em toda a rotina do trabalho e em casa com a família.

Para dar fim nas dívidas, a Resoluty Consultoria separou as cinco dicas abaixo. Se você não for uma pessoa que esteja com dívidas bancárias, compartilhe essas informações com alguém que esteja nessa situação. 

1. Coloque tudo no papel

O primeiro passo é anotar tudo o que deve. Aqui entram todos os seus gastos e despesas básicas como contas de energia, água, mensalidade escolar e internet. 

Essa etapa é fundamental para você ver para onde seu dinheiro está indo e quanto está sobrando. Com essas anotações você saberá o valor certo da dívida que deverá negociar. 

Assim que tiver as anotações finalizadas, não esqueça de conferir os juros de cada uma. Eles normalmente vêm especificados no boleto. Caso precise de ajuda, clique no ícone de whatsapp que fica no canto inferior esquerdo da sua tela e fale com um dos atendentes.

2. Começe a organização financeira

Depois de ter a visão geral de suas despesas fixas, das dívidas bancárias e do cartão de crédito, o momento é de organização. Nessa etapa você pode usar algum aplicativo de celular, planilha no computador ou um caderno de anotações. 

O ideal aqui é que você anote tudo o que recebe no mês: Salário, aposentadoria, valor dos bicos que faz, aluguel, etc. Pegue esse valor e veja se ele é maior ou menor que o total das despesas básicas - aquelas anotadas no passo 1. 

Se o total for maior que as despesas, você está no caminho certo! Se for menos que as despesas, alguns gastos precisarão ser cortados. 

3. Cortando gastos

Envolver a família na organização financeira é muito importante, pois cada um pode ajudar um pouquinho para aumentar a renda da casa a fim de quitar as dívidas. 

Seja diminuindo as compras desnecessárias, vendendo itens que não usa mais, economizando energia na hora do banho e até encontrando um trabalho extra. Dessa forma, alguns gastos podem ser cortados com o apoio de todos e a meta de dar fim nas dívidas fica mais fácil de ser alcançada. 

4. Renegocie a dívida

Demonstrar interesse em quitar a dívida bancária, ou do cartão de crédito, é algo positivo para as instituições financeiras. Mas na hora da conversa com eles, demonstre sua situação atual de vida e, com base nas suas anotações, exponha a proposta que cabe no seu bolso. 

Priorize quitar as dívidas que têm os maiores juros. Elas que são as mais prováveis de virar uma bola de neve, então merecem sua atenção. A conversa de renegocioação da dívida pode ser demorada e os devedores precisam entrar em contato muitas vezes. É necessário ter paciência e tempo.

Uma opção mais prática para essa situação é contar com serviço especializado em renegociação de dívidas bancárias. Esses profissionais sabem os melhores argumentos, entendem de todas as taxas de juros que não são obrigatórias e vivem em contato com as credoras. 

Os especialistas da Resoluty Consultoria garantem em contrato a redução da dívida bancária e para simular gratuitamente, clique aqui.

5. Diminua os cartões e crie metas

Não é recomendado fazer cartão de crédito em várias lojas. O hábito prejudica o controle financeiro já que esse facilitador de compras tem uma das maiores taxas de juros do mercado. 

Quanto limite em cada cartão você tem? Quanto ficou todas essas faturas somadas no fim do mês? Se fica difícil responder essas perguntas, é melhor diminuir a quantidade dos cartões para se ter um controle e não cair no rotativo. 

Na hora de criar metas para o seu dinheiro, tenha em mente as suas reais necessidades. Seja educação, transporte ou lazer, você merece usar seu dinheiro com o que vai te fazer bem. 

Mas tenha foco em não adquirir mais dívidas com compras grandes. Para isso, a Resoluty recomenda o Coaching Financeiro

Esse profissional fortalece as habilidades econômicas das pessoas. Auxilia na criação do desenvolvimento financeiro, orientando cada um de acordo com sua realidade monetária. E é um ótimo serviço para quem sonha grande, mas não sabe como chegar lá. 

O que achou das dicas? Agora você já sabe como se organizar para ter uma vida sem dívidas bancárias!

Compartilhamento: