Blog

Blog Resoluty

Leia nossos artigos, te manteremos informados dos mais diversos assuntos.


O que todos devem saber sobre os perigos do cartão

O que todos devem saber sobre os perigos do cartão

Resoluty 26 Abr 2021

Você está correndo perigo!

Sim, é isso mesmo que você leu. Se você usa cartão de crédito, preste muita atenção neste artigo, porque você está correndo perigo.

IOF, anuidade, rotativo, juros compostos... Você sabe o que é tudo isso ou para você parece que estamos falando grego?

Pois é, os significados disso tudo são pouco conhecidos, mas, na prática, é muito simples: quando você usa cartão de crédito, paga taxas e juros em cima de muita coisa!

Preparamos este artigo para te explicar de forma simples o que todos devem saber sobre os perigos do cartão de crédito e, de bônus, ainda temos uma super dica para te ensinar como não pagar juros abusivos para os bancos.

Cartão de crédito é bom para quem?

Muita gente enxerga o cartão de crédito como um grande benefício. E, de fato, ele movimenta grande parte da economia nacional. Uma pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) mostrou que em 2020 os brasileiros fizeram mais de 10 bilhões de transações com cartão de crédito. Sim, isso mesmo: bilhões!

Mas a grande questão é: o cartão de crédito é bom para quem? Quem sai ganhando com seu uso?

Pare para pensar por um minuto: você usa o cartão de crédito para que?

•Fazer compras no supermercado?

•Comprar aquela blusinha que viu no anúncio e não quis perder?

•Aproveitar aquela promoção e comprar um eletrodoméstico que estava precisando?

•Comprar uma cervejinha para tomar no final de semana e relaxar?

E, agora, fica o questionamento: por que você utiliza o cartão de crédito para essas coisas ao invés do débito, dinheiro ou PIX?

Em grande parte dos casos, a resposta é que as pessoas simplesmente não têm dinheiro disponível no momento e querem/precisam fazer determinada compra.

E é aí que mora o perigo: o cartão de crédito não é um aliado tão bonzinho assim...

Você realmente sai ganhando ao usar o cartão de crédito? Ou ele é bom para os bancos, que ganham muito dinheiro cobrando juros de quem atrasa o pagamento das parcelas?

Os riscos que você corre ao usar cartão de crédito

A Agência Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) revelou que os juros cobrados pelos cartões podem chegar a 875,25% ao ano! E isso tem tudo a ver com aquelas palavrinhas que citamos no começo do texto...

Vamos explicar de forma simples o que elas significam!

•Anuidade: é uma taxa cobrada para a manutenção do cartão de crédito. Cada banco e instituição cobra determinado valor, mas uma das regras mais seguidas é que, quanto mais benefícios o cartão tiver, maior será a anuidade cobrada.

•IOF: significa Imposto sobre Operações Financeiras. Ele é um imposto federal que pessoas e empresas pagam por qualquer operação financeira, como operações de crédito, seguro, câmbio, entre outros.

•Rotativo: é um tipo de “crédito de emergência” oferecido pelos bancos de forma automática quando a pessoa não paga o valor total da fatura do cartão de crédito. Por exemplo, se sua fatura veio em R$ 1.000 e você pagou apenas o valor mínimo indicado no boleto, o restante dessa dívida entra no rotativo. Os juros rotativos médios no Brasil, segundo a Proteste, estão em 329,3% ao ano.

•Juros compostos: é popularmente conhecido como “juros sobre juros”. Ou seja, o valor cobrado por uma parcela em atraso ou no rotativo é atualizado e corrigido com juros, ou seja, ele aumenta. Mas, quanto mais o tempo passa, mais juros são cobrados em cima desse valor já atualizado e corrigido, e não em cima do valor devido originalmente.

Em resumo: quando você atrasa o pagamento de uma parcela do cartão de crédito, paga o mínimo ou parcela as faturas, paga muito por isso! Paga rotativo, IOF, juros compostos...

Quer um exemplo prático de como isso se aplica?

Vamos supor que a Dona Izilda está devendo R$ 1.000 no cartão de crédito. Ela teve alguns imprevistos e não vai conseguir pagar o valor total.

Os bancos vão cobrar taxas e IOF em cima dessa dívida e, considerando que os juros cobrados pelos cartões podem chegar a 875,25% ao ano, essa dívida pode ser transformada em quase R$ 10.000 em 12 meses!

Como saber se os juros cobrados são abusivos

Agora você já sabe que, quando uma parcela do cartão de crédito fica em atraso, é parcelada ou tem seu valor mínimo pago, são cobrados juros.

Podemos dizer que juros simbolizam as remunerações devidas a quem concedeu um empréstimo ou crédito.

O problema surge quando os juros cobrados são muito maiores do que o necessário para cobrir o risco que o banco teve ao te emprestar o dinheiro/conceder crédito, quando a cobrança é maior do que a média prevista pelo Banco Central ou quando infringe o Código de Defesa do Consumidor.

Quando um desses casos ocorre, podemos dizer que a pessoa está pagando juros abusivos.

Existe uma maneira muito segura e simples para uma pessoa saber se está sendo cobrada com juros abusivos e garantir pagar um valor justo na dívida: fazer uma análise de contrato com uma empresa especialista no assunto, como a Resoluty Consultoria.

Dê adeus para as dívidas com cartão de crédito

Identificar os juros abusivos cobrados pelos bancos é uma das formas de reduzir o valor a ser pago pelas dívidas de cartão de crédito. Mas os consultores especialistas da Resoluty vão além e trabalham com técnicas de negociação exclusivas, o que leva o consumidor a quitar as dívidas por um valor realmente justo!

E tudo é feito de forma segura: a Resoluty garante em contrato a redução do valor da dívida. Esse contrato é verificado pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) e homologado judicialmente.

Mais de 7.437 pessoas e empresas já quitaram suas dívidas com reduções incríveis através da Resoluty.

E, agora, é sua hora de decidir: você vai continuar pagando juros abusivos para os bancos e se enrolando cada vez mais com as dívidas do cartão de crédito ou vai se livrar disso tudo de uma vez por todas e se juntar ao time das pessoas sem dívidas?

Entre em contato hoje mesmo com um dos consultores especialistas e faça já uma análise exclusiva do seu caso. Basta clicar aqui.

Compartilhamento: