Blog

Blog Resoluty

Leia nossos artigos, te manteremos informados dos mais diversos assuntos.


Os 20 impactos que as dívidas causam na saúde

Os 20 impactos que as dívidas causam na saúde

Resoluty 09 Abr 2021

Só de ler a palavra “boleto” você já fica arrepiado? Pois saiba que você não está sozinho...

Uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revelou que mais de 66% das famílias brasileiras estão endividadas.

E aquela história de que quem está devendo não dorme tranquilo é a mais pura verdade. Diversas pesquisas e estudos analisaram os impactos que as dívidas causam na saúde e nos relacionamentos de quem está endividado e os resultados são preocupantes.

Como nesta semana celebramos o  Dia Mundial da Saúde, fizemos uma lista com 20 destaques desses estudos e deixamos no final deste artigo algumas dicas para acabar com esses problemas!

[LISTA] 20 impactos que as dívidas causam na saúde e nos relacionamentos

Abaixo você confere uma lista com as 20 principais consequências para a saúde e os relacionamentos de quem está endividado. Os dados foram retirados de pesquisas feitas pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojista (CNDL), pelo periódico Social Science and Medicine, pela  Associação Brasileira do Consumidor e pela Universidade norte americana de Northwestern.

1- Insegurança

Sabe aquela sensação de não estar protegido por não ter certeza das coisas, por não ter o controle da sua vida nas suas próprias mãos? Pois é, o endividamento causa esse sentimento de insegurança por medo de não conseguir quitar as pendências em 44% das pessoas que tem dívidas.

2- Nervosismo

Quem nunca ouviu o famoso “tá nervoso? Vai pescar!” que atire a primeira pedra. Bom seria se o simples ato de ir pescar resolvesse o nervosismo que 44% dos endividados dizem sentir... A pescaria pode até aliviar o nervosismo por um tempo, mas ele tende a voltar enquanto as dívidas não forem quitadas!

3- Irritação

Sabe o que acontece com quem fica nervoso por muito tempo? O aumento da irritação. É quase uma bola de neve de sentimentos negativos...

4- Queda de autoestima

Em relação à autoestima, 43% das pessoas que possuem dívidas há mais de três meses dizem que ela foi afetada. Uma queda na autoestima pode comprometer a capacidade de julgamento da pessoa com dívidas, dificultando ainda mais a saída do processo de endividamento.

5- Alteração no apetite

É quase um efeito cascata: quem está inseguro, nervoso, irritado e com baixa autoestima acaba descontando na comida. É por isso que 53% dos endividados dizem que tem alterações de apetite, seja aumento ou perda.

6- Insônia

Lembra que dissemos que quem está devendo não dorme tranquilo? Aqui estão os dados para comprovar: um em cada quatro brasileiros endividados relatam alterações no sono, a famosa insônia.

7- Medo de atender o telefone

O telefone toca e quem é do outro lado da linha? Isso mesmo, o banco ou a assessoria cobrando dívidas e financiamentos em atraso. As ligações de cobranças abusivas são tantas  que 31% dos endividados dizem ter medo de atender o telefone!

8- Agressões verbais

A irritação de quem está endividado pode chegar a níveis tão altos que cerca de 33% dos endividados admitem que acabam agredindo verbalmente familiares e/ou amigos.

9- Agressões físicas

E, infelizmente, não para por aí: um dado que preocupa é o que diz que 18% das pessoas inadimplentes já fizeram agressões físicas a familiares e/ou amigos por causa do nervosismo.

10- Aumento de vícios

Se há um problema, a tendência é que as pessoas procurem uma válvula de escape. Como forma de aliviar o nervosismo e a irritação sem descontar em pessoas próximas, muitos endividados recorrem aos vícios. É por isso que 26% dos endividados dizem que passaram a usar mais os vícios que já possuem, como cigarro e bebidas alcoólicas.

11- Queda de produtividade e concentração no trabalho

O ambiente profissional de quem está endividado também é afetado. Isso porque, quem tem dívidas, gasta muito tempo pensando e se preocupando com isso! Entre os problemas profissionais comuns de quem está endividado podemos citra redução da concentração, queda da produtividade e diminuição da paciência com colegas de trabalho.

12- Ansiedade

Será que o banco vai ligar? Será que vai dar para pagar a parcela este mês? E se não der? Pois é, são tantas coisas na cabeça de quem está endividado que a ansiedade aumenta!

13- Estresse

Quando a ansiedade do endividado aumenta, o corpo produz adrenalina e cortisol, hormônios associados ao estresse.

14- Úlceras

Quando adrenalina e cortisol são liberados com frequência pelo corpo, a pessoa pode ter problemas de saúde. Um deles, relatado por 27% dos endividados, são as úlceras.

15- Hipertensão

Outra condição que pode ser desencadeada no organismo por causa de altos níveis desses hormônios é a elevação da pressão arterial. E alterações na pressão arterial podem estar relacionadas a um risco maior de hipertensão.

16- AVC

As alterações na pressão arterial também estão relacionadas a um risco maior de acidente vascular cerebral (AVC).

17- Problemas nos relacionamentos familiares

Falar sobre dinheiro é tabu nas famílias brasileiras. Imagina, então, falar sobre a falta dele para pagar as dívidas... É comum que em lares endividados surjam mais conflitos, tensões, discussões e falta de confiança. O resultado pode ser, inclusive, o divórcio.

18- Desespero

Tantos problemas que podem surgir devido ao endividamento logo levam ao desespero. Por isso, 44% dos endividados dizem ter esse sentimento.

19- Infelicidade

Sentimentos negativos, problemas de saúde, queda de produtividade no trabalho, brigas com a família... Nada disso deixa alguém feliz. Não é à toa que 46% dos endividados dizem sentir infelicidade.

20- Depressão

Profissionais da área da saúde dizem que uma em cada cinco pessoas, passou, passa ou passará por um quadro de depressão em algum momento da vida. E o acúmulo de tantas consequências negativas do endividamento podem ser um gatilho para pessoas com predisposição (provavelmente genética) desenvolverem a depressão. A doença pode se manifestar no começo como uma simples apatia e logo se converter em um quadro grave.

A luz no fim do túnel: confira dicas para se livrar do endividamento

Muitas das consequências do endividamento só acabam se você cortar o mal pela raiz, ou seja, quitar a dívida.

Por isso, é importante que você:

•Saia do papel de vítima

Não se deixe levar por pensamentos como “é assim mesmo”, “não tem jeito” ou “nesse país é difícil não ter dívidas”. Quem acredita nisso, escolheu a derrota. Você pode sim, mudar sua situação financeira com disciplina e ajuda! Escolha sair do endividamento.

•”Organize” as dívidas

Você sabe exatamente quanto você deve? E você sabe exatamente quanto você ganha? Coloque tudo no papel, faça as contas e tenha em mãos valores reais e totais de quanto é sua dívida e seus rendimentos no mês.

•Busque ajuda para renegociar

É fato que no Brasil são cobrados muitos juros abusivos pelos bancos. A boa notícia é que dá para renegociar dívidas e financiamentos em atraso com a ajuda dos profissionais especialistas da Resoluty Consultoria. São mais de 12 anos no mercado e já renegociamos dívidas de mais de 7.437 pessoas, que voltaram a ter paz e tranquilidade.

Para conversar com um dos nossos consultores especialistas em renegociação e redução de dívidas e financiamentos, basta clicar aqui. O contato é feito online, então, você pode falar conosco de qualquer lugar do Brasil!

Compartilhamento: