Blog

Blog Resoluty

Leia nossos artigos, te manteremos informados dos mais diversos assuntos.


Você pode ter a “doença do dinheiro” e não saber disso!

Você pode ter a “doença do dinheiro” e não saber disso!

Resoluty Consultoria 05 Out 2021

Dinheirofobia: você tem essa “doença”?

Você pode até achar que gosta de dinheiro. Você pode até dizer: “mas, afinal, quem é que não gosta de dinheiro?”. Pois afirmamos que muita gente tem um sentimento bem diferente do “gostar” quando pensa em dinheiro. O sentimento que atinge boa parte da população mundial quando se fala de dinheiro é o medo!
Para sermos mais exatos: 20% da população mundial é atingido pela fobia financeira, ou dinheirofobia. A informação é de um estudo realizado pela Universidade de Cambridge.
De acordo com o dicionário Oxford Languages, fobia significa “medo exagerado”; “falta de tolerância”; “aversão”. Ou seja: 20% das pessoas do mundo sentem essas coisas quando o assunto é dinheiro.
E tem mais... O mesmo estudo mostrou que os medos relacionados com o dinheiro podem ser comparáveis ao medo da morte!
Só para você ter uma noção:

  • 65% da população tem medo de não ter dinheiro para se sustentar no futuro;
  • 69% tem medo de morrer;
  • 92% tem medo de falar em público sobre dinheiro.

E especialistas alertam: o maior sintoma da dinheirofobia é, justamente, não se falar sobre dinheiro!

O que causa dinheirofobia

Pense na sua infância. Quando você era criança, seus pais, avós, tios e pessoas mais velhas com quem você teve contato te ensinaram que existem coisas ruins, arriscadas, perigosas e erradas na vida.
Ouvir os mais velhos falando disso fez com que você, quando criança, passasse a acreditar que essas coisas fossem te fazer mal. Ou seja: crenças foram geradas. O problema surge quando algumas dessas crenças te limitam, te restringem, te travam.
Para ficar mais claro, pense que a mente é um tipo de centro de comando de tudo o que fazemos. E, quando não prestamos muita atenção nisso, podemos alimentar a mente com informações e hábitos destrutivos, que podem surgir através de... Crenças limitantes!
Quando você alimenta a mente com informações e hábitos destrutivos, isso pode se transformar em padrões de pensamento destrutivos. E isso afeta muitas coisas, inclusive a forma como você lida com dinheiro.
Quer um exemplo de crenças limitantes que levam à criação de padrões de pensamento destrutivos? Então, vamos voltar para a infância...
Quando o pai, mãe, avós falam muito sobre:

  • Falta de dinheiro;
  • Como tudo é muito caro;
  • Como é difícil ganhar dinheiro;
  • Como os ricos são arrogantes e corruptos;
  • Como dinheiro é sujo;

Isso influencia as crianças. Elas crescem associando dinheiro a problema, a angustia, a negatividade... E, aí, as crianças podem passar a ter “medo de dinheiro”.
Isso é uma crença limitante.
O resultado? Essas crianças crescem e se tornam adultos que não querem nem pensar em dinheiro, porque associam dinheiro a coisas ruins. E para fazer planejamento financeiro, guardar dinheiro, etc., é preciso pensar em dinheiro, contar dinheiro, planejar o que fazer com o dinheiro...

Como lidar com a dinheirofobia em 4 passos

A orientação dos especialistas é que os pais se comuniquem sobre dinheiro com as crianças de uma forma positiva, evitando associar dinheiro a problemas e incentivando as crianças a trabalharem, mostrando uma visão positiva para elas. Mas se você não é mais uma criança e ainda quer lidar com a dinheirofobia, também tem como! Existem 4 passos simples que você pode começar a aplicar hoje mesmo.
Confira!

Primeiro passo: use sua imaginação

Você pode até achar bobo ou infantil, mas saiba que esse passo é fundamental, porque a imaginação é uma ferramenta poderosa para construir uma vida financeira melhor.
Então, faça o seguinte exercício:

  • Sente-se em um lugar tranquilo, sem distrações ou barulhos;
  • Feche os olhos;
  • Use sua imaginação e visualize como sua vida será daqui a alguns meses ou alguns anos, quando você não tiver mais, por exemplo, o peso da dívida para pagar para o banco;
  • Pense em todas as coisas boas que poderá fazer com esse dinheiro que não terá mais que pagar para o banco: viagens, passeios, compras...

Ao usar sua imaginação para projetar um futuro financeiro melhor, toda a sua mente começa a trabalhar para te colocar no caminho que te levará a alcançar o que você deseja.

Segundo passo: encontre uma motivação

Aqui, o importante é parar e se perguntar: por que você quer mais dinheiro? Existem algumas respostas prontas para isso, como “uma vida com dinheiro é mais fácil”, ou “com dinheiro sobrando eu vou poder comprar tudo que eu quiser”. Mas você precisa pensar de forma mais específica, ter metas claras. Portanto, a pergunta correta na verdade é: para o que você quer ter dinheiro?
Para encontrar essa motivação, faça assim:

  • Pegue papel e caneta ou abra o bloco de notas do celular;
  • Pense e anote exatamente o que você quer fazer com mais dinheiro;
  • Você pode, inclusive, anotar mais de uma coisa, como por exemplo: quero fazer uma viagem internacional; quero fazer uma reforma na cozinha da minha casa; quero comprar novos eletrodomésticos; etc.

Quando você visualiza claramente o que você quer, é mais fácil se manter firme no planejamento financeiro!

Terceiro passo: acredite que você vai conseguir

Agora, o passo é rápido:

  • Acredite que vai conseguir chegar onde você imaginou.

Pode parecer simples, mas nem sempre tão fácil quanto parece. E, quando estiver difícil ter confiança de que você vai conseguir chegar onde imaginou e cumprir suas metas, lembre-se: não crie novas crenças limitantes!

Quarto passo: comemore suas conquistas

Para finalizar:

  • Comemore cada conquista.

Celebrar suas conquistas financeiras, por menores que sejam, faz você se lembrar de que está cada vez mais próximo de atingir suas metas. Por isso, se você conseguiu guardar a quantia de dinheiro que se propôs naquele mês, por exemplo, comemore.
Cumprindo à risca esses 4 passos, a dinheirofobia será coisa do passado. E o seu futuro financeiro pode ser muito mais saudável, estável e feliz!

Para ler mais artigos no blog que podem te ajudar a se livrar da dinheirofobia é só clicar aqui.

Compartilhamento: